13/06/10

Campeões Nacionais de Sub-14 Femininos

É com muito orgulho que escrevo estas letrinhas, pois não podia deixar de reportar o que aconteceu hoje, dia 13 de Junho de 2010 no Pavilhão Carlos Alberto Carvalho.
Pela primeira vez em toda a sua história a SIMECQ foi Campeã Nacional num escalão de Formação, com um record inacreditável de 36 vitórias em 36 jogos.
Foi um título mais que justo, pelo trabalho realizado por esta equipa.
Vários factores são precisos para se alcançar feitos como este. Uma equipa trabalhadora e com muito crer, treinadores dedicados que colocam a equipa em primeiro lugar na lista de prioridades e condições de treino. Este último factor foi dos que mais mudou desde que estou na SIMECQ. Há quatro anos atrás, quando a nossa equipa de iniciadas esteve presente na Fase Final Nacional, o tempo de treino por semana eram apenas 3 horas! Sim, estão a ler bem e ficou documentado neste blog! Era muito difícil competir com equipas que treinavam o dobro de horas por semana. Hoje em dia a realidade é diferente, as condições de treino na SIMECQ melhoraram substancialmente e o resultado está à vista. Com excelentes jogadoras, uma equipa técnica de qualidade e uma direcção que veio para melhorar as condições de trabalho, a SIMECQ vai com toda a certeza alcançar muitos mais títulos quer nos escalões de formação, quer nos escalões de competição.
Parabéns à equipa de Sub-14 Feminina e a toda a gente que acreditou no seu valor. Parabéns ao Fernando, à Silvie e ao Bruno Liz pelo seu excelente trabalho, que tanto admiro.
Obrigada aos pais que confiam na SIMECQ para dar formação aos seus filhos, obrigada aos treinadores que trabalham gratuitamente com tanto empenho, aos adeptos que são incansáveis, mas sobretudo obrigada à direcção da SIMECQ que sem dúvida, é a melhor desde sempre.


Aproveito para responder publicamente à pergunta que mais me têm feito, nas últimas semanas.
Sim, estarei de volta na próxima época para trabalhar na Instituição SIMECQ mas ainda não sei qual a equipa que me vai ficar entregue. Posso adiantar que será ou Sub-14 ou Sub-16 Femininos e cumulativamente darei apoio ao projecto do Minibasquete. Uma coisa posso prometer, trabalho, dedicação e muita luta. E desde já deixo um aviso aos atletas com quem irei trabalhar. É preciso muito espírito de sacrifício para se alcançar os objectivos e a preguiça não tem lugar nos meus treinos. Preparem-se para trabalhar muito!!! Ninguém baixa os braços enquanto o Bom não for Melhor e enquanto o Melhor não for O Melhor de cada um de nós.
Espero que os pais continuem a confiar no trabalho deste pequeno GRANDE CLUBE, pois é um orgulho fazer parte desta casa.

13 comentários:

Fatima disse...

PARABÉNS!!!!!!!

Guilherme Vilhena disse...

É com muito orgulho que faço este comentário aqui neste blogue. Em primeiro lugar quero dar os meus parabéns à equipa de sub-14 femeninos por este grande feito de terem ganho pela primeira fez, na história desta instituição, o campeonato nacional. E é de realçar os 36 jogos sempre a ganhar. Em segundo queria deixar aqui o meu apoio e dar força tanto as restantes equipas da simecq para que continuem a representar e dar o seu melhor pela simecq como tambem á Paula para que tenha um regresso espetacular com muitas vitórias e quem sabe títulos. Obrigado SIMECQ.

Anónimo disse...

Parabéns Campeões. Cara Paula, chega d férias, óptimo vê-la voltar. Pq não treina S14/16 M ? bom desafio p si e ELES iam ser mais Amados num clb ainda mt feminista. Vc tem bons métodos trab, exigência, e tb força n club, é tempo de os Masc serem tb prioridade no simecq. Bom Verão, e volte sim, Rui M

Coach Paula disse...

Caro Rui, obrigada pelos elogios e pela confiança demonstrada no meu trabalho.
Na minha opinião, os rapazes são tão amados como as meninas, e não considero o clube feminista porque todos têm as mesmas condições de treino. O que acho que acontece, é que nos masculinos andamos a formar bons atletas para os outros clubes apanharem. Essa é a única diferença que encontro entre eles e elas. As meninas são mais fiéis ao clube e talvez menos cobiçadas. Penso que a SIMECQ está no bom caminho para se alcançarem muitos sucessos em ambos os géneros.
Já treinei masculinos, aliás comecei por treinar uma equipa de Sub-16 Masculinos e gostei muito da experiência.
Quem sabe um dia volte a trabalhar com os rapazes... mas num futuro próximo penso que ainda vou aturar algumas meninas... ;)

Coach Paula disse...

Olá Gui! Obrigada pelo teu comentário.
O maior sucesso é ver que a SIMECQ está a trabalhar cada vez melhor e que, quer atletas quer treinadores, se mantêm no clube felizes por fazer parte desta família tão especial.
É gratificante pertencer a um clube como a SIMECQ.

Anónimo disse...

Antes demais dizer que uma equipa que não perde jogo nenhum é sempre um campeão acima de qualquer suspeita.
Agora devemos analisar os seguintes factores (estou á vontade porque não faço parte de nenhuma equipa feminina),que tipo de verdade desportiva existe ao se fazer uma final no campo de um dos seis finalistas?
Sabemos que a organização das finais estão relacionadas com os apoios dados por parte das câmaras municipais, já jogar na mesma cidade é uma grande vantagem agora faze-lo no seu campo é uma vantagem demasiado injusta para as outras equipas.
Vou recordar que a final foi decidida apenas no prolongamento e por dois pontos... acho que a vantagem do campo fala bem alto no resultado final.
Depois quero falar do facto de o pavilhão da Simecq não tem condições para o publico assistir a jogos onde existem enchentes!
Este jogo deveria ter sido feito noutro pavilhão de Lisboa por estas duas óbvias razões.
A juntar a isto á o facto legal desta magnifica equipa do Simecq ter feito este ano aquisições a outros clubes de lisboa e onde numa final ganha por dois pontos penso que este factor também fala bem alto no marcador, é engraçado que um anónimo se queixa do sector masculino ser "diferente" neste clube, é um facto no feminino não perde os seus valores e ainda efectua aquisições, citando a Coach Paula "O que acho que acontece, é que nos masculinos andamos a formar bons atletas para os outros clubes apanharem", ora no feminino o que se passa nesta equipa de Iniciadas é o inverso, os outros trabalham para o Simecq apanhar.
Depois há a feliz coincidência de ser uma geração com jogadoras filhas de ex-praticantes e com muitos anos de prática.
O resto é por demais evidente, havia equipas de longe bem melhores treinadas, mais organizadas, neste escalão de iniciadas isso ainda não chega, mas o caminho é longo.
Sem os factos que aqui mencionei era por demais evidente que o vencedor seria outro, para o bem do basquet português não faz falta finais a serem jogadas em casas de clubes que estão a disputa-la para que os árbitros no fim se sintam á vontade para apitar as anti-desportivas.
Volto a dizer que O Simecq ganhou bem o campeonato, agora numa final ganha por dois pontos de diferença todos os pormenores contam, e os que mencionei desequilibraram a balança!

Jorge Antunes
(espero que não haja censura ao meu comentário)

Coach Paula disse...

Não resisto a fazer duas observações. No feminino as jogadoras que se deve estar a referir que a SIMECQ ganhou de outros clubes são Iniciadas que ainda têm muito para evoluir e aliás foi o que aconteceu nesta época. Os atletas que a SIMECQ "oferece" aos outros clubes normalmente vão já com a formação feita e a custo 0. Em ambos os casos saem porque procuram melhores condições de trabalho o que não critico. Se as encontram ou não isso agora já é o problema de cada um.
Relativamente ao jogo da final, penso que o que marcou mais a diferença foi o facto da equipa do Juventude ter defendido zona 90% do tempo de jogo, que para quem não sabe, é desaconselhada neste escalão. O Juventude não defendeu zona por ser uma opção clara com fundamentos de defesa individual, mas sim pelas limitações ofensivas dos adversários que devem ter como fundamentos o 1x1. A diferença foi apenas de 2 pontos, após um prolongamento, mas daqui a uns anos quando estas duas equipas se encontrarem, de certo que a diferença vai ser muito maior, pois a SIMECQ não anda a saltar etapas para atingir resultados rápidos, ao contrário do Juventude que levou uma lição ao ver que de nada valeu uma época inteira a treinar a defesa zona.
Em relação ao recinto onde a final se realizou, penso que é especulação dizer que a SIMECQ foi campeã porque jogou em casa, pois esta equipa ganhou em todos os campos por onde passou.
Foi um justo vencedor e qualquer pessoa que perceba de Basket e de formação consegue ver que a melhor equipa foi a que venceu o campeonato.

Anónimo disse...

Boas noites!

Antes demais dizer que não vou escrever mais nada neste blog porque a senhora não quer ver o que toda a gente viu!

1- Em relação as míudas que foram buscar a outros clubes, é so fazer contas aritméticas, se ganhou a final por 2 basta subtrair os pontos dessas duas meninas e contar de novo os pontos para ver com quantos ficava!

2 - Sobre a defesa que o juventude fez e que lhe parece que ser fruto da falta de capacidade de conseguir defender homem, só lhe desejo para o ano se voltar a treinar cadetes, que as suas cadetes defendam zona com aquela qualidade que foi vista naquele jogo, as pessoas falam mas não vejo ninguém dizer que a zona foi excepcionalmente defendida! Porque afinal o que se trata na formação é ensinar correctamente os sistemas ofensivos e defensivos quer sejam mais complexos ou mais simples.

3 - Sobre o achar que o campo não conta para ter-se vantagem, relembro-lhe que estar a invocar vitórias em todos os jogos, não retira importância a este facto, se calhar a senhora não gostar de jogar onde treina..., ou talvez as equipas da Nba pensam ao David Stern para não terem factor casa, isso é ridículo porque o factor casa é tido por todos como importante, basta depois pensar por quantos ganhou a final...
Relembro-lhe que se ganhasse todos os jogos menos o ultimo não seriam campeãs... acho que por aqui está tudo dito, não?!?!

4 - Você que apregoa aos 4 ventos que na Simecq se forma jogadoras, deve saber tão bem quanto eu, que o treinador da Simecq optou por utilizar apenas 10 jogadoras durante toda a final, sabendo que só eram obrigadas a jogar apenas 1 jogo de toda a final, porque não utilizar as mais fracas contra as equipas das ilhas? Acha formativo privar duas miúdas de poderem participar nesta festa do basquetebol? É formativo?
É formativo estar a ganhar por mais de 20 pontos contras as equipas mais fracas e não rodar a equipa?
Será mais formação defender zona depois do verão quando forem cadetes?
Enfim ridículo, quase tão ridículo como o espectáculo que fazem na vitória, uma equipa que é a única que joga basquetebol a sério numa zona de 2 milhões de habitantes, e que jogam o que jogam porque uma boa parte da equipa é quase um allstar de filhos de ex grandes praticantes....
Ridículo é que daqui a uns meses nem metade joga aí mas a cor vai se manter... vai uma aposta?

Jorge Antunes

Coach Paula disse...

Penso que interpretou mal o que eu disse. A zona do Juventude só resultou porque equipas de iniciadas atacam mal contra zonas, como é normal e a SIMECQ não é excepção. Temos tempo para ensinar as atletas a atacar contra zona, não saltamos etapas. Apesar disso conseguiram ganhar 3 vezes ao Juventude.
Em relação ao factor casa é óbvio que pesa mas não venha para o meu blog fazer barulho porque quem faz a escolha do campo não sou eu, nem a SIMECQ.
Também não percebo qual é o seu problema das nossas atletas serem filhas de jogadores. Se foram jogadores e confiam na SIMECQ para formar as suas filhas, é sinal que a SIMECQ inspira confiança no que toca à formação. Se mais tarde quiserem sair, que seja para melhor.
Não subestime as outras equipas que não estavam na final, porque por exemplo o SLB é uma equipa interessante, apesar de não estar presente na final.
Em relação ao somar e subtrair pontos ao resultado, não é assim tão fácil como diz, por isso nem vou especular sobre o que acontecia sem uma ou outra atleta. As opções do técnico da SIMECQ, só a ele dizem respeito. Criticar é fácil, difícil é fazer melhor. Por acaso sabe se as atletas que ficaram de fora estavam em boas condições físicas?! Cada um sabe de si e o Sr. não esteve concerteza em todos os treinos e jogos da SIMECQ para saber mais que a equipa técnica acerca de quem estava apto a jogar na final.
Desculpe, mas os seus comentários parecem-me de alguém que não sabe aceitar a derrota. E quando se arranjam desculpas para a derrota, não se pode evoluir...

Anónimo disse...

Rídiculo sim foi a atitude que o Juventude teve na entrega de prémios, que nem sequer assistiu até ao final.
Se são esses valores que ensinam às atletas, que estão na idade em que aquilo que vêem, principalmente das pessoas mais próximas, é para elas um exemplo, então acho que não é preciso comentar muito mais...Mas é uma pena.

Inês S.

Famse disse...

Tenho estado a tentar não me meter nesta conversa mas não resisto apenas a dizer ao Sr. Jorge Antunes, e todos o que pensam como ele, que a Simecq não foi "buscar", nem muito menos "adquirir" nenhuma jogadora a outros clubes! Ninguém andou "atrás" de ninguém, as miúdas apareceram "pelo seu pé", mostrando vontade de pertencer a este pequeno Grande clube e, obviamente, como sempre, foram bem acolhidas no seio da "nossa família"! Se têm dúvidas, perguntem às próprias ou aos seus pais os motivos que os levaram a sair dos seus clubes de origem e a virem para a Simecq!
De qualquer maneira estamos a falar de miúdas com 1 ou 2 anos de basquete, não me parece que já se possa considerar que têm a formação feita.....pelo contrário, estão apenas no início!
A questão de termos filhas de ex-atletas é tão ridícula que nem sei o que dizer...! Talvez seja melhor começarmos a perguntar aos miúdos que aparecem quem são os seus pais e se foram ex-jogadores e, nesse caso, o melhor é mandá-los embora.....por amor da Santa!!!
Sem qualquer demagogia, dou os parabéns ao seu Juventude (já o fiz junto do seu treinador) que tem uma boa equipa e que lutou, com garra e atitude, até ao apito final! Continuação de bom trabalho!
Parabéns às minhas Simecquinhas mais novas que foram justas vencedoras, não só pelo que fizeram na Fase Final, como pela época brilhante!

Anónimo disse...

Bem, não conheço a Paula pessoalmente, só de vista mas deixo-lhe já aqui o meu apoio nesta "discussão".

O Juventude defendeu zona porque não teve, nem tinha argumentos ofensivos para a SIMECQ. Tinha 2 jogadoras fora de série e o resto passou a fase final a fazer piscinas para as outras. O SIMECQ, usando 10, todas elas tiveram importância nos jogos, tendo mesmo, e caso não saibam jogado 70% do tempo uma jogadora de 1998, ou seja ainda MINIBASKET !

Mais, as duas atletas que foram para a SIMECQ, não foram para lá a convite do clube, mas sim por iniciativa das atletas.

Mais digo, o Benfica, o Santo André e várias equipas da zona sul, e não digo da norte porque não vi, logo nao sei, eram bem melhores tecnicamente do que esta equipa do juventude.

Defenderam bem zona? FALSO. Não há é preparação das equipas para atacar zona, e o treinador do Juventude sabia isso muito bem, e como finais são para ganhar, que se lixe...

O factor casa dizem que contou a favor da SIMECQ. Concerteza este senhor não deve ter visto o jogo da zona sul no Algarve em que a SIMECQ foi completamente assaltada pelas arbitragens já bem conhecidas do Algarve e mesmo assim venceu com um triplo da MINIBASKET, no ultimo segundo...

Bem e já me alonguei demais.
Bom regresso aos treinos coach Paula e bons sucessos para as suas equipas.

Famse disse...

....só mais uma coisinha, mas quem é o Sr. Jorge Antunes para avaliar ou medir a nossa alegria e a forma como festejámos esta vitória?? Não me diga que também já não somos livres de festejar como queremos e como sentimos?!....esta agora....!!!